um blog dedicado à melhor década de sempre - os 80s



sociedade: Multibanco

2 comments


Não há muito tempo as notícias que faziam os jornais um pouco por todo o nosso país davam conta de cartões de Multibanco clonados, através das mais variadas técnicas. Esses cartões eram cartões de acesso às ATM do sistema Multibanco, da SIBS. Esse sistema foi implementado em Portugal em 1985 e foi um dos últimos a ser implementado na Europa, mas também um dos mais avançados na altura.

Multibanco é uma marca registada propriedade da empresa SIBS. O termo é utilizado comumente para designar as caixas automáticas (as máquinas que permitem a realização de operações bancárias em regime de auto-serviço), sendo mesmo utilizados em relação a caixas automáticas de sistema outros que o controlado pela SIBS. Neste contexto, também se utiliza o termo ATM, do inglês Automatic Teller Machine.

Enquanto Portugal foi um dos últimos países da Europa ocidental a instalá-las, o equipamento usado representou o que havia de mais avançado, baseado nas experiências de outros países, muitos dos quais gastam agora imenso dinheiro para substituir e actualizar máquinas obsoletas.

O número de caixas Multibanco mais do que triplicou em Portugal na última década, revela um estudo da Marktest. Desde 1995, triplicou também o valor mensal médio de levantamentos per capita, revelam os dados fornecidos pela SIBS e incluídos na pesquisa «Os Concelhos Portugueses – 1995/2005».

Em Portugal, os multibancos têm tido muito sucesso, o que levou ao aparecimento de novos serviços não bancários, como a venda de bilhetes ou o pagamento de serviços.

Neste momento a Rede Multibanco é uma das mais sofisticadas redes interbancárias do mundo.

in pt.wikipedia.org
mais info em
sibs.pt
en.wikipedia.org

Hoje estas máquinas são peças essenciais no nosso dia-a-dia.
deixar comentário em sociedade: Multibanco



colecção de industrial/synth-pop dos anos 80

4 comments

Nitzer Ebb

Encontro regularmente nas minhas visitas a sites dos anos 80 algumas coisas que me interessam pessoalmente. Algumas dessas coisas não resisto em colocar também aqui :) Desta vez encontrei uma colecção de músicas em MP3 do que se pode chamar o old school industrial/ebm, o industrial/synth-pop dos anos 80, um movimento musical alternativo. Foi no blog Lost in the '80s (cujo link também está ali ao lado nas ligações), mais precisamente neste post, cujo autor fala de um club da altura que passava essencialmente este tipo de música.

Coloco este post aqui para partilhar sons que encontrei, que eu gosto e é um tipo de música que ouço com frequência, mas também para saber quem é que, na altura e/ou agora, ouve deste tipo de sons. Quem é que nos anos 80 ouvia bandas como Nitzer Ebb, Die Krupps, DAF, Front Line Assembly, Depeche Mode (sim, Depeche Mode) ou Front 242? Estes são apenas alguns dos nomes que foram responsáveis por um movimento musical crescente dos 80s, muitas vezes identificado por industrial/synthpop mas que de pode abreviar para EBM (electronic body music). Este tipo de música, bastante ritmado e com um enorme recurso a maquinaria musical, não é acessível ao ouvido de qualquer um, e requer uma espécie de treinamento para se ouvir e habituar ao estilo. Para aqueles que não conhecem estas bandas dos anos 80 (muitas delas ainda no activo e outras que voltaram ao activo muito recentemente), abaixo podem fazer download de algumas músicas que marcaram este movimento musical alternativo na década de 80. E se quiserem deixem a vossa opinião. Mas desde já deixo o aviso: algumas destas músicas são para maiores de 18 anos :)
“Join In The Chant” – Nitzer Ebb
“This Corrosion” – Sisters of Mercy
“Flashback” – Ministry
“American Soviets” - CCCP
“I Sit On Acid (12” Mix)” – Lords of Acid
“No Name, No Slogan” – Acid Horse
“Rigor Mortis” – A Split Second
“Headhunter V 3.0” – Front 242
“Slang Teacher” – Wide Boy Awake
“One World” – Ajax
Penso que é uma boa sugestão sonora.
deixar comentário em colecção de industrial/synth-pop dos anos 80





Muito há a dizer sobre Madonna e os anos 80. Não pretendo com este post falar sobre a Madonna naquela década, mas numa coisa temos de concordar (quer se goste dela ou não): a música dos anos 80 (bem como a música actual!) não seria a mesma se Madonna não existisse.

Mas para falar de Madonna nos anos 80 tenho de encomendar um texto digno da senhora a uma pessoa entendida e tão fã que corre a Europa só para a ver ao vivo (tu sabes quem és :))!

Este post é sobre a música Burning Up, que encontrei recentemente na net a versão 12 polegadas que quero partilhar aqui.

Segundo o wikipedia, "Burning Up" é uma música de dança pop escrita por Madonna para o seu álbum de estreia Madonna de 1983. A música foi lançada como segundo single daquele álbum na Primavera de 1983 (quem se lembra??) e alcançou o Top20 na Austrália, e tornou-se o primeiro single Top20 de Madonna. Nos EUA, "Burning Up" atingiu o Top5 da Billboard Dance Charts.

A versão original apresenta as famosas batidas disco dos anos 80, bem como as guitarradas características daquela década, mas antes desta versão de 1983 existem outras versões bootleg, como uma demo de 1981, que pode ser encontrada nos álbuns "Pre-Madonna" e "In The Beginning" ou a versão de 1980 (!), que se pode encontrar em vários bootlegs. Já agora, quem tem estas versões???

O videoclip da música, que podem ver abaixo, foi realizado por Steve Barron, famoso por realizar o vídeo de Billie Jean de Michael Jackson e Take On Me dos A-Ha.





Mas a versão que deixo aqui para download é ligeiramente diferente da versão original, mas nem por isso menos interessante. É a versão 12 polegadas, o maxi single da música Burning Up. É uma versão mais club, ideal para essas festas dos anos e não tem os tais riffs da guitarra. Para download é favor clicar aqui :)
deixar comentário em música: Madonna - Burning Up (12'' Version)



maxi singles needed

3 comments


Pois é, preciso que partilhem comigo aqueles MP3 de maxi singles dos 80s que têm algures nos vossos computadores, CDs, DVD, vilil :), etc... Se não sabem para que é eu dou uma dica: podcast.

Pois, os maxi singles eram, e são, lançamentos de versões inéditas dos singles. E normalmente essas versões são excelentes. Por isso toca a partilhar aqui com o 80s - a melhor década. Podem entrar em contacto comigo pelo email wellenbereich@gmail.com

Enviem-me, entre outras, aquelas versões que gostavam de ouvir no podcast deste blog :)
deixar comentário em maxi singles needed



hit me with the eighties - the podcast series

2 comments


E com este post dou por inaugurada uma nova rubrica deste blog que espero que seja do agrado dos visitantes :) A partir de hoje o 80s - a melhor década terá um podcast associado com músicas dos anos 80. hit me with the eighties é o nome da série de podcasts que espero que faça isso mesmo: atinja os leitores e ouvintes deste blog com os hits dos 80s e com ainda mais saudades daquela década.

Sugeri que me deixassem os vossos discos pedidos :) para fazerem parte deste primeiro podcast. Entretanto podem continuar a deixar as vossas sugestões :)

Decidi não colocar aqui a tracklist, pelo menos para já. Desafio-vos a tentarem adivinhar as músicas deste podcast, que podem colocar aí na caixa de comentários. Não é difícil :)

Para aceder ao download do podcast visitem o seguinte endereço :)
Entretanto deixem os vossos comentários a este podcast :)

ENJOY!
deixar comentário em hit me with the eighties - the podcast series



moda: 80s sunglasses

6 comments


I wear my sunglasses at night
So I can, So I can
Watch you weave then breathe your story lines

And I wear my sunglasses at night
So I can, So I can
Keep track of visions in my eyes


Corey Hart - Sunglasses At Night (1984)

Gosto dos 80s. Pronto! Chamem-lhe mania! Gosto de tudo o que é 80s, e em especial a moda! Ouço por vezes comentários relativos aos 80s como "Ai aquela modinha era horrível! Os vestidos e os chumaços nos ombros!" ou "Os penteados eram do pior!". Eu gosto :) Gosto da moda dos anos 80, em especial os óculos de sol. Eram grandes, cheios de cor (especialmente os da neve), de variadas formas, tanto para ela como para ele. Fantásticos!

Os Ray-Ban, ou raibantes, para os "amigos", eram os que maior sucesso tinham, graças a coisas como Top Gun ou Miami Vice, ou melhor, graças aos seus protagonistas Maverick e Sonny Crockett (pode ver-se abaixo imagens dessas influências).

os Ray-Ban, óculos que identificam a década de 80, muito graças ao que abaixo se segue

é só estilo

os Ray-Ban fazem parte do estilo de qualquer detective que se preze

Os óculos de sol foram um acessório fashion bastante explorado não só pela moda, claro está, mas também em outras artes, como o cinema (Top Gun), televisão (Miami Vice) e a música (Pet Shop Boys ou Eurythmics).

Seguem alguns exemplos do mais fantástico acessório de moda dos anos 80 :)








Ah! E não podia deixar de postar esta imagem fantástica do primeiro episódio da série animada francesa Era uma vez... o Espaço. Até aqui se vê bem as influências :)

a chefe do comando estrelar Omega a ajeitar os seus óculos fashion :)

Outra foto que adoro :) Desta vez é Diana (Jane Badler) da série V dos 80s :)


Para finalizar, os óculos que eu quero ter! Se alguém me quiser oferecer um presente pode ser um Ray Ban igual ao que está na imagem abaixo. Alguém sabe se isto ainda se vende nalgum lado?
deixar comentário em moda: 80s sunglasses



televisão: todos contra o Chris

2 comments


Não, esta série não é dos anos 80... mas passa-se nos anos 80 :)
TarzanBoy sugere, no seu excelente blog, que nos tornemos viciados na nova série Todos contra o Chris que passa no canal 2: à hora de jantar. E eu não podia estar mais de acordo. Apenas vi ainda um episódio mas fiquei logo fã! É uma série deliciosa de se ver e é um must para quem quer à viva força matar saudades dos anos 80. Toda a série transpira ao anos 80 novaiorquinos.


Segue a sinopse da série da 2:
Chris é um responsável e alegre adolescente que mostra de maneira distinta e divertida os testes e traumas do dia-a-dia.

Inspirado nas experiências de sua infância, o comediante Chris Rock narra a tocante história de um jovem adolescente que cresce como o mais velho de três filhos no Brooklyn, Nova York, durante o início da década de 80. Enfrentando uma nova vizinhança e estando numa escola onde os alunos brancos são a maioria e localizada a duas horas de sua casa, Chris esforça-se para encontrar o seu lugar enquanto tenta manter os seus irmãos na linha em casa e supera os desafios do ginásio. Esse responsável e alegre adolescente mostra de maneira distinta e divertida os testes e traumas do dia-a-dia.

1982 foi o ano em que Chris completou 13 anos. Convencido pelos sonhos de que se tornar um adolescente seria algo realmente bom, a entrada de Chris na adolescência acaba por ser bem diferente do que ele imaginava. Após mudar de um bairro projectado para o Brooklyn, Chris continua preso no seu papel como irmão mais velho. Como o "adulto de emergência" da família, ele é responsável por cuidar de Drew, o seu irmão mais novo e seguro de si, que também é mais alto do que ele, e de Tonya, a irmã mais nova, enquanto os seus pais estão a trabalhar.

O seu rude pai Julius, que sabe o preço de todas as coisas, tem diversos trabalhos para sustentar a sua família. Já a sua rígida e petulante mãe Rochelle, que trabalha meio-período numa pequena imobiliária, comanda a casa com um orçamento apertado, enquanto exige o melhor para os seus filhos.

Com a sua mãe determinada a vê-lo numa boa escola, Chris é obrigado a pegar vários autocarros todos os dias para chegar ao colégio Corleone Junior High, no bairro italiano de South Shore. Apesar de ser um alvo fácil para os valentões, o charme natural e a inteligência afiada de Chris permitem que ele faça novos amigos na escola, como por exemplo Greg, outro garoto inteligente... que não sabe brigar.

Enquanto Chris Rock revê directamente o seu passo, sua versão mais jovem ainda está para descobrir o que sua família já sabe — a natureza afiada e briguenta de Chris irá mudar a vida dele. Mas antes, ele terá que pensar, conversar ou correr durante esse caminho de crescimento após outras confusões em sua casa, na escola ou nos diversos transportes.
in 2:

Everybody Hates Chris passa na 2, nunca no mesmo horário, mas sempre entre as 20.30 e as 21.00. Os actores são muito bons e os textos geniais. A acção passa-se em 1982, quando Chris Rock (que apenas intervém como narrador) era uma criança. Esta sitcom está cheia de referências musicais. É a minha mais recente adicção televisiva.
in Queridos Anos 80

Vale a pena ver :)
deixar comentário em televisão: todos contra o Chris






"Walk This Way" é uma música ds americanos Aerosmith do seu álbum "Toys in the Attic" de 1975. foi um dos primeiros hits da banda a atingir o Top10 nos EUA, mas é em 1986 que atinge o sucesso mundial com a versão com os rappers Run DMC, do álbum "Raising Hell".

O vídeo da versão com os Run DMC de 1986 (que se pode ver em baixo) opunha os Aerosmith e os Run DMC num duelo musical em estúdios vizinhos, com Steve Tyler a deitar abaixo a parece que os separa. O vídeo segue então para a performance conjunta em palco.

Este vídeo foi o primeiro vídeo rap a rodar intensamente na famosa MTV, e é considerado um clássico do género. Esta colaboração com os Aerosmith catapultaram os rappers Run DMC para o sucesso, e introduziram a fusão do rock com o rap, mais tarde conhecido por rapcore.

Lembro-me de dar este vídeo imensas vezes na televisão... e era um vídeo/música que detestava! É que não achava piada nenhuma àquilo! Mudava logo de canal, para o outro :) Onde estava eu com a cabeça, ou melhor, com os ouvidos! Agora não me canso desta versão da música e do vídeo! São excelentes! :)







deixar comentário em música: Aerosmith and Run DMC - Walk This Way



filme: Innerspace

2 comments


Innerspace é um filme de ficção científica sobre um tema apaixonante: a nanotecnologia. O filme conta com a participação de Dennis Quaid, Martin Short e Meg Ryan, e conta a história de uma experiência médica com recurso à nanotecnologia que correu mal.

O piloto de testes da marinha Tuck Pendleton participa numa experiência médica onde, dentro de uma espécia de nave, deverá ser miniaturizado e transferido para o corpo de um coelho. Antes que isso aconteça, a seringa com a nave miniaturizada é roubada, nunca sendo introduzida no coelho, mas sim é introduzida acidentalmente no hipocondríaco Jack Putter, que começa a ouvir vozes e vê a sua vida virar um caos. Com a ajuda de Tuck e Lydia ( namorada de Tuck) tenta colocar Tuck de volta ao tamanho normal.

O filme é um misto de comédia com ficção científica, onde a inspiração do filme Fantastic Voyage de 1966 é bem evidente.

Lembro-me de ver este filme numa tarde de sábado, mas sob o nome de algo como "Super Micro Heroí", e desde então este filme ficou-me na memória. Só o facto de haver a miniaturização de um ser humano fascinou-me. Recentemente, e por ter boas recordações deste filme, comprei em "saldos" o filme Fantastic Voyage :)


para saber mais:
Innerspace @ imdb.com
Innerspace @ en.wikipedia.org
Innerspace @ fast-rewind.com
trailer
deixar comentário em filme: Innerspace



televisão: Duarte & Companhia

4 comments




Duarte & C.a foi uma série de comédia, produzida pela RTP, cuja acção se centrava nas aventuras de uma dupla de detectives que tinham como veículo um Citroën 2CV. Recentemente a série tem sido retransmitida pela RTP Memória.

Em 2005, A RTP editou em DVD os seis episódios correspondentes à primeira série. Em Junho de 2006 foi a vez da segunda e terceira séries, acrescentando 15 episódios aos editados anteriormente. Esperam-se novos lançamentos para o Natal de 2006.

Durante o Inicio dos anos 90 esta série foi transmitida na rúbrica "Sem Legendas", nas tardes semanais da RTP.

in pt.wikipedia.org


Não há memória de uma série da Televisão Portuguesa que ainda hoje, passados todos estes anos, continue a influenciar gerações inteiras e a minha em particular. Naquele tempo (quando ainda havia candeeiros a petróleo e as vias rápidas eram em paralelo (...)) o Duarte e Companhia juntava à mesma mesa, amigos e desavindos, étnias várias, Crentes e Ortodoxos, Queijo e Marmelada, Maçã e Goiaba, (...) o país parava, já na altura muito na via da cintura interna, no garrafão da Ponte 25 de Abril e merecidamente na segunda circular e durante aqueles 50 minutos (há aí alguém que me possa dizer quanto tempo tinha cada episódio?) não se pensava noutra coisa. Como pode haver criatura tão malévola e ruim como Lucifer? Que fará Átila quando descobrir que o seu imensurável poder pode estar ameaçado? Quem poderá suster a força intempestiva dos desiquilíbrios emocionais de Rocha?

A verdade é esta, mais do que a violência física que a pontuava ao melhor estilo Jackie Chan, era a violência psicológica e os métodos que usavam para a exercer que distinguiam a série. Quem não se recorda do episódio da tortura do aquecedor, em que o refém de então é impiedosamente encarcerado numa sala de dimensões exíguas, rodeado de aquecedores, que parcimoniosamente eram ligados até atingirem o nível máximo para seu absoluto desespero. Se para o espectador o sofrimento já era tortuoso, as coisas agravam-se substancialmente para a vítima, ainda neste cena, quando no meio deste intenso calor lhe é colado à frente, em cima da sua mesa, um copo de água bem fresquinha, que sabe não poder consumir por se encontrar atado a uma cadeira de forma severa e irrascível.

A série Duarte e Companhia revolucionou também, porque mostrou o lado humano e não raras vezes altruísta de quem pratica o mal. São constantes as analogias ao amor mesmo em climas de tensão, são evidentes as fragilidades de alguns quando confrontados com o lado mais sensível de um mundo que sabemos ser nosso.

Duarte e Companhia colocou questões mesmo às mentes mais cépticas: Que haverá depois da ínfima linha do horizonte? Poderá a violência ser mais forte do que o amor? Poderá o mal vencer o bem? O consumo exagerado de coentros não será subversivo? Quem terá chegado a este parágrafo terá mais alguma coisa que fazer na vida?

in provaoral.blogspot.com


Há muitos, muitos anos, uma série televisiva vinha revolucionar o que se fazia para o pequeno écrã em Portugal; Duarte & Companhia foi uma das primeiras séries portuguesas, apresentando um apimentado misto de humor e policial que cativou uma audiência nada habituada a ouvir a língua de Camões neste tipo de produtos. E de tal modo a coisa ficou na retina que ainda hoje, nomeadamente nos nossos fóruns, Duarte & Companhia suscita uma onda de interesse inesperada dada a antiguidade do material.

in dvdmania.co.pt

Realizada por Rogério Ceitil, contando com actores como Rui Mendes, António Assunção, Paula Mora, Canto e Castro ou Guilherme Filipe, Duarte e Companhia foi uma das mais populares séries alguma vez produzidas pela televisão portuguesa. Em regime lo-fi, com mais ideias que meios e sob um clima de delicioso nonsense, à lusitana, um policial descontruído que nos revelou personagens como as de Duarte, sua mulher e respectiva mamã (esta sempre com um tilojo na carteira, não fosse ser assaltada), o ajudante Tó, a secretária Joaninha, o Professor Ventura, e os vilões Lucifer, Átila e o... Chinês ("eu não sele chinês, eu sele japonês")...
A edição, assegurada pela Costa do Castelo, tem o mérito de abrir ao DVD o vastíssimo espólio de ficção da RTP.

in sound + vision

Penso que não erro muito se disser que toda a gente que visita este blog viu e não ficou indirefente a esta série da RTP. Eu via e ficava meio abananado com tanto disparate junto :) A começar pela música (via Mistério Juvenil) e acabar pelo fantástico bólide da dupla de agentes Duarte e Tó. Aquilo quase que dava as curvas deitado :) E os vilões? Cada um mais mau que o outro... O chinês, ou japonês, tinha um dos textos mais difíceis de representar na televisão portuguesa na altura! Ah, parece que um dos vilões mora no meu prédio! (não sei se isto é bom ou se é mau...) Estou a falar de um sósia do actor António Rocha! É que é mesmo igual! :) E ainda por cima agora anda a deixar crescer o cabelo!


mais imagens aqui.
deixar comentário em televisão: Duarte & Companhia



música: Monsters of Goth videos

2 comments

Encontrei na net 3 videos de 3 músicas fantásticas dos anos 80 que não quis deixar de partilhar :)

Aqueles que me conhecem, destas ou de outras andanças, sabem do meu gosto pela música, em especial a música dos anos 80 e a música gótica, a de agora e também a de há 20 anos. Muito se podia escrever sobre a música gótica, mas nenhum texto ficaria completo sem a referência a estas 3 bandas que deixo agui alguns vídeos.

Nos anos 80 bandas como Bauhaus, Sisters of Mercy e Joy Division abriram as mentes de muito boa gente e bloqueou outras com muito controversa. A música que faziam (e que podem ainda fazer) era diferente do kitschy 80s' pop, que, segundo alguns, deu origem, ou segundo outros, cimentou um movimento emergente - o movimento gótico. O local disto tudo: a capital da música europeia, Inglaterra, em especial Londres, na década de 80. Era um sítio que gostava de ter visitado naquela década :)

As músicas que vos deixo aqui os vídeos são autênticos hits que representam bem os anos fantásticos e criativos do movimento gótico* nos anos 80. Temas como Alice, Bela Lugosi's Dead ou Love Will Tear Us Apart devem ser obrigatórios na discoteca de qualquer amante de música alternativa dos anos 80.

* Mas claro que o chamado gótico não se fez apenas com estes nomes. Muitos outros há. Lembram-se de outros? Quais? :)


Nos dias de hoje o gótico é ainda visto de lado, por diversas razões que não interessa agora. As bandas ainda andam por aí, com a excepção de Joy Division, "substituídos" pelos New Order depois da trágica morte do seu mentor Ian Curtis. Bauhaus andam na estrada (passaram por Paredes de Coura este Verão) e prevê-se novo trabalho para breve, New Order estão aí ainda por muitos anos, e Sisters of Mercy, por muito que goste do trabalho deles, acho que é para esquecer :|

Bauhaus - Bela Lugosi's Dead


Joy Divison - Love Will Tears Us Apart


The Sisters of Mercy - Alice


Espero que gostem das recordações :)
deixar comentário em música: Monsters of Goth videos



cultura pop: colagem das capas e cadernos da escola

2 comments


Este post vem na sequência da excelente recordação trazida pelo nosso amigo TarzanBoy, na qual me baseio para criar este post.

Uma moda que se espalhou nas escolas durante os anos 80 foi as das colagens que se faziam nas capas de argolas e nos cadernos. Quem nunca fez uma colagem, vistas hoje como obras de arte contemporânea? Na altura revistas como Bravo ou Pop Corn eram "devoradas" pelos adolescentes. Não importa se eram em alemão, belga, ou chinês... O que importava eram as imagens, material para as colagens (música, desporto, jet7, tudo servia para encher as capas e os cadernos), e os posters, para colar em todos os espaços disponíveis no quarto, para dor de cabeça das mães. Estes actos eram geralmente incompreendidos pelos pais, mas eram admirados pelos colegas de escola! Fazia-se isto como uma afirmação pessoal perante os colegas tipo "Olha que fixe que é a minha capa!" ou "Olha que fixe que é o meu quarto cheio de posters!" :)



Este fenómeno da cultura pop da altura deixa muitas saudades. Isto ainda se faz? A geração MCA (morangos-com-açúcar) e afins suspeita que nós, filhos dos 80s, fazíamos destas coisas para impressionar a miúda da turma? O que fazem eles agora? Exibem o telemóvel e o leitor de MP3? Como alguém diz no post do TarzanBoy «Ainda haverá quem faça capas personalizadas com recortes?»


Abaixo seguem as colagens do TarzanBoy, gentilmente "roubadas" do seu blog ;)



Sobre as colagens, aconselho a visita ao post do TarzanBoy sobre o tema :)
deixar comentário em cultura pop: colagem das capas e cadernos da escola



80s in music

1 comments


Mais um excelente site, este "dentro" do wikipedia, sobre a música dos anos 80. Ora espreitem lá este link :)
deixar comentário em 80s in music








Bem, eu sei que esta música já não é dos anos 80, mas é quase. Soon foi, e ainda é, um enorme hit da banda My Bloody Valentine, lançada no EP Glider de Abril de 1990 (por isso, quase 80s :)). Decidi colocar este video porque a música é fantástica, bem como o video. É uma boa recordação :)
deixar comentário em video: My Bloody Valentine - Soon



[sobre o saudosista]

[sobre este blog]

[envie sugestões]

  • wellenbereich@gmail.com

[livro de visitas]


[o comentário!]


[o podcast!]

  • Add to ClickCaster

[últimas saudades]

[arquivo]

[ligações]


Wellenbereich Muzik Manifesto


Directory of Music Blogs


Estou no Blog.com.pt
Divulgue o seu blog!


Blogarama

ATOM 0.3

links ao 80s - a melhor década

a matar saudades

saudosistas
eXTReMe Tracker



© todos os direitos reservados